leonardotrench.com.br

Política, Saúde, Esportes, Odontologia, Dor Orofacial e DTM… e o que mais rolar!!! Confiram.

Archive for the ‘Pronunciamentos e Discursos’ Category

Assinatura do termo de posse

Seguindo a categoria dos discursos, esse, como foi feito de improvisso, infelizmente não tenho o mesmo na íntegra, mas me lembro mais ou menos do que falei. Logo logo vou postar alguns dizeres sobre esse momento muito especial para a comunidade itapagipana.

Para mim, enquanto coordenador deste distrito, é uma satisfação muito grande, ver o trabalho de 2 anos frutificando nesta criação e posse do Conselho Distrital de Saúde de Itapagipe. Desde a nossa entrada aqui, com o auxílio de Edvaldo, vínhamos tentando essa instalação e hoje ela é uma realidade. E para quem tem uma história com o controle social do SUS, ao cotrário do natural, já que iniciel a jornada em uma comissão no Conselho Nacional de Saúde e hoje estou em um distrital, só me resta um dia ir para um conselho local, pois é lá que o SUS acontece, na ponta mesmo!!!

Desejo toda a sorte a nós conselheiros, para que possamos juntos construir algo de melhor para Itapagipe, lembrando que o Conselho é um local para se fazer poítica, mas que nos dispamos das armaduras da política partidária e quebremos os grilhões que nos prendem às pretenções pessoais e possamos empunhar a mesma bandeira, a do partido da saúde de Itapagipe.

Que juntos possamos, quem sabe, fazer Itapagipe ser mais uma vez pioneiro em algo na cidade de Salvador, e consigamos agora instalar 100% dos conselhos locais de saúde, trazendo à comunidade a responsabilidade por auxiliar na gestão, porque penso muito diferente daqueles têm no conselho um inimigo, e me doi muitas vezes, quando ouço que conselho é oposição, isso nunca pode ocorrer, conselho é situação, a situação da população, auxiliando a gestão para bem servir aqueles que sustentam a máquina com o suor do dia-a-dia.

Conselheiros, lembrem que aqui não nos representamos, mas sim a uma comunidade através de uma Associação ou grupo de pessoas, que precisam ser respeitados, portante precisamos estar sempre voltando às bases para consultar e para repassar as decisões, e tenham a certeza que nesta gestão, vocês serão co-responsabilizados pelos acertos, mas também pelo erros, pois iremos juntos, construir um futuro melhor para nossa querida itapagipe. Que Oxalá permita haver um dia para nos orgulharmos deste trabalho e que Nosso Senhor do bonfim, que no guia e protege bem de pertinho, aqui do lado, todos os dias, nos abençoe nesta caminhada.

Muito obrigado”

Conselho Distrital de Itapagipe

Nem sempre as pessoas agem responsavelmente, então, nós, que pensamos seriamente a administração pública, precisamos agir. Quando fui acusado de ter o pior Distrito Sanitário de Salvador, não pude ficar calado, afinal tenho uma responsabilidade muito grande, por estar coordenando uma das, se não a melhor equipe de servidores da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador.

Não quero divulgar nomes aqui, para não falarem que estou querendo polemizar, afinal, ja faz tempo que isso ocorreu, mas como temos uma equipe valorosa do DSI, fiz questão de postar essa resposta, que me foi concedida pelo Radialista Emerson José no programa Fala Bahia do dia 29/04/2011.

Obrigado Equipe de Itapagipe, com vocês aprendi e aprendo muito, espero, quem sabe, poder contribuir com alguma coisa.

“Eu solicitei essa resposta, não por mim, já que aquele vereador na verdade atesta minha competência ao ler um pequeno pedaço do meu curriculo, mas pelos servidores sérios e responsáveis daquele distrito que ontem estavam muito chateados, pois nossos resultados são muito positivos, principalmente no último ano. Aqueles rostos entristecidos por se verem invadidos na sua mais nobre dignidade, o seu trabalho, sendo expostos de maneira tão irresponsável e, diria até leviana, me obrigaram a estar aqui hoje. Eu não poderia faltar com eles, pois estamos juntos nas batalhas do dia-a-dia e nunca faltaram comigo.

Então vou fazer uma breve explicação do meu site, já que ele foi usado pelo vereador, na verdade confesso nunca imaginei que uma simples folha de rosto de um possível futuro site pudesse ser tão visitado parabéns Emerson pela audiência e alcance. Incialmente tenho que explicar que realmente sou aquilo que ele leu, e na verdade poderia ter colocado mais coisa, até ajudaria, pois se ele fosse ler tudo não teria tempo de falar coisas que falou, vale lembrar que são cargos Associativos, portanto não remunerados, tenho certeza que aquele senhor, já que é formado em direito sabe disso, além do que não geram expedientes a ser cumpridos, apenas demonstram o prestigio que tenho, junto aos meus pares, e a capacidade adquirida através dos anos, motivo pelo qual fui indicado, e não apadrinhado, pelo Dr. Pitangueira, já que com ele a coisa é séria, para ser indicado tem que ter bala técnica na agulha, os currículos têm que passar primeiro pelo crivo dele, muito mais rigoroso até que o da própria secretaria. Ele trata suas indicações como trata Salvador, com seriedade e respeito, afinal não é só o nome dele que está em jogo, é a nossa Cidade.

Quanto a atender em Brasília e Salvador, agradeço ao vereador por me alertar, e retirar aquilo da página, já que na verdade, como sou conhecido em todos os estados Brasileiros, pelas figuras mais representativas da classe neles, eu estava fazendo um marketing negativo com isso, pois na verdade atendo em todo o Brasil, sou um profissional liberal e nada me impede de passar um final de semana inteiro em qualquer cidade do mundo atendendo aos pacientes que me procurarem.

Mas falando do que realmente interessa a saúde pública de itapagipe, acredito que o vereador agora necessita apontar um único problema daquele D.S. que tenha sido causado por uma falha minha, já que estamos falando de um distrito que é reconhecido de competência pelas instituições de ensino como a UNIFACS com o Pisco e outras que lá estão, pela SJCDH pela atuação junto ao PSP, pelo MP do trabalho da BA pela brilhante atuação no Projeto sinaleira, dai falo da irresponsabilidade daquelas declarações, são pais de família que lá estavam trabalhando para fazer isso acontecer, falo da diminuição de 80% dos casos de Dengue se comparados ao mesmo período do ano passado, aumento de 200% na cobertura de vitamina A e de 40,9% de sulfato ferroso entre os anos de 2009 e 2010. Pela parceria estabelecida com a CAASAH, pelos mais de 4500 pacientes só de saúde mental inscritos nas nossas unidades.

Não posso considerar responsável uma declaração que diminui uma Equipe de Vigilância Sanitária que tem mais de 3500 intervenções por ano, uma vigilância epidemiológica que entra em áreas de risco para concluir investigações de óbitos e acompanhar casos de notificação, um PSF elogiado pelo seu trabalho de Geoprocessamento realizado em 2010, Unidades Básicas de Saúde que estão implantando o Programa de Saúde do Idoso e aumentaram em 20% a cobertura do programa de Hipertensão e Diabetes na minha gestão e um Centro de Testagem e Aconselhamento que enche de orgulho todos os que militam na área de DST/AIDS.

Sem contar que todos os nossos índices usados na avaliação do pacto pela vida apresentam melhoras consideradas no período em que me encontro a frente do Distrito.

Falou-se de uma coordenação, reconhecida pela comunidade como sempre presente, não importa a hora, dia ou local, para ser questionada ou louvada, mas falou-se dela como uma usurpadora dos cofres públicos, que pena, mas essa mesma coordenação já passou por quatro secretários de saúde e por todos teve o prazer e a honra de ser chamado para representa-los em eventos importantes da cidade. Falou-se de uma coordenação que tem ido sim à Brasília, representar essa cidade no Conselho Nacional de Saúde, lutando para se trazer a Salvador um laboratório de Prótese dentária, e mais, conseguindo um dia na agenda do Coordenador nacional da saúde bucal para vir aqui e auxiliar a todos os gestores baianos nas políticas publicas do Brasil sorridente, será no dia 25 de maio, com uma audiência pública solicitada pelo vereador Dr. Pitangueira. Vale lembrar que tudo isso sem um centavo de custo para o município.

Orgulho-me do meu trabalho e da minha história na política estudantil, classista e agora na saúde pública, e isso precisa ser respeitado. Então, deixo meu abraço a todos que nos ouviram, esperando voltar logo para discutirmos saúde, qualidade de vida, e não perdermos tempos com polêmicas e falácias furtivas de palanque, pois como apresentei fatos, e contra eles não há argumentos, não retornarei a me expressar pelo mesmo motivo. Coloco-me a disposição do Vereador aonde, como e quando ele quiser para discutir esses ou outros assuntos, bem como a todos os cidadãos de Salvador, uma cidade que de braços aberto me acolheu há 10 anos e me deu os dois maiores presentes que um homem pode receber, minhas filhas.”

Discurso Dia do Dentista

Bom esse discurso fiz no dia do Dentista. Foi muito interessante, pois precisamos, nós dentistas, entender que somos profissionais de saúde, antes de qualquer coisa.

Vejam ai:

“Este é um dia de comemoração não só por esta profissão abençoada que como dizem uns só pode ser exercida por aqueles que têm o conhecimento de um médico e a habilidade de um artesão, mas pelos números que a saúde bucal tem fornecido aos banco de dados oficiais do SUS. Com o Brasil Sorridente, hoje mais de 65 milhões de pessoas são atendidas nos mais de 4000 municípios cobertos por Equipes de Saúde Bucal e nos quase 1000 CEOs espalhados por este país. O número de profissionais no SUS cresceu 49% entre 2002 e 2009, os investimentos em saúde bucal entre os anos de 2003 e 2006 chegaram a casa de 1,2 bilhões de reais e entre os anos de 2007 até o final de 2010, alcançaremos o montante de R$ 2,7 bilhões de reais, mostrando que os olhos de nossos governantes estão cada vez mais se voltando para a saúde bucal para parte da saúde integral do indivíduo.

Sabemos que muito precisa ser feito ainda, que aqui em Salvador, estamos avançando, mas ainda em um ritmo que não nos satisfaz, mas estamos avançando e se reconhecemos essas dificuldades, já é um grande passo para buscarmos as melhoras.

Apesar de ser um dia de alegria, já que mais uma vez reunimos grandes autoridades de nossa odontologia, relembramos o passado, trocamos informações e outras coisas mais, é também um momento de reflexão.

Precisamos nos reconhecer verdadeiramente como profissionais de saúde e nos engajar na defesa deste bem com todas as nossas forças, e isso não quer dizer que precisamos deixar nossos consultórios ou outros afazeres, mas que precisamos atuar na sociedade que nos cerca, não apenas como dentistas, mas como profissionais de saúde, ai sim estaremos dando um grande passo para o tão falado reconhecimento de nossa classe.

Precisamos nos debruçar em defesa do SUS, que não canso de afirmar, é uma política da qual nós brasileiros devemos nos orgulhar, e lembrar que todos, sem exceção, todos que aqui estão usufruem do SUS, seja no ar que respiramos, nos restaurantes que freqüentamos, no que compramos nos mercados ou ainda em situações de emergência ou de alta complexidade. Essa máquina chamada SUS passa por problemas que eu considero comuns a todo jovem, e ele é um jovem de vinte poucos anos, está ainda se conhecendo e se afirmando perante a sociedade, mas cabe a nós profissionais de saúde, independente de nossas áreas e remos de atuação erguer esta bandeira, reclamarmos a regulamentação da EC 29, cobrarmos do nosso CROBA, que tem vaga no CMS e é atuante neste órgão, quais suas posturas perante a gestão e a situação da saúde bucal soteropolitana, cobramos uma coordenação específica de saúde bucal no estado da BA, sabemos os tramites burocráticos e o interesse desta gestão em trabalhar este aspecto, mas o controle social precisa e deve ser exercido por todos.

Portanto, felicitemo-nos por termos sido agraciados com o dom de fazer sorrir e de tirar a dor, nunca esqueçamos que esta é a verdadeira razão do existir da odontologia, e lutemos para que sejamos, cada vez mais, reconhecidos como profissionais de saúde, de relevante função na manutenção do dom maior do criador, a VIDA.”

Nesta audiência eu fui convidado a representar o Dr. José Carlos Brito, então Secretário de Saúde de Salvador. Este evento foi solicitado pelo Vereador Joceval, que conheci e aprendi a admirar seu trabalho neste dia.

Foi muito interessante, ainda mais com um tema tão amplo.

Vejam o que eu falei e postem seus comentários.

“ Quando fui chamado a representar aqui o Dr. José Carlos Brito e falar acerca do Valor da Vida, no mesmo instante pensei que estariam aprontando alguma pra mim. Como falar em Valor de Vida Humana sob este panorama que se descortina às nossas vistas.

A menos que sejamos míopes mentais ou alienados, em plena entrada de séc XXI, desenha-se um panorama sombrio, em que pais, por questões passionais, ceifam as vidas de seus filhos, ou quando vemos adolescentes terem abreviadas suas existências sobre a Terra em troca de pedras baratas que degradam e aviltam toda uma sociedade que, fingindo não ver o que ocorre ao seu lado no dia-a-dia, e que como bons atores representam espanto ao assistir aos noticiários noturnos no belo conforto de seu sofá, mesmo sabendo que há minutos atrás estava realmente perto destas cenas ou que estas podem na verdade estar acontecendo dentro do seu próprio lar.

Como falar em valor da vida humana, se me sinto desencorajado a continuar seguindo o caminho que sempre me conduzia ao aconchego e segurança do meu lar, pois um advogado recém-casado teve sua vida interrompida por alguns menores quando se dirigia à FIOCRUZ para pegar sua esposa no trabalho. Quando um chinês alienado invade uma escola de crianças e esfaqueia 28 delas. Quando a escola não é mais o santuário da educação e o professor está longe de ser o baluarte do saber? Quando o fato de tirar uma vida tem se tornado tão banal?

Mas sabemos que a vida humana tem valor, sabemos que todas as vidas têm valor, pois nós sentimos esse valor quando estamos perto de perdê-las ou de perder as vidas que amamos, naqueles momentos em que rogamos, em vão, ao Pai Maior que divida conosco o sofrimento dos amados, como se fosse possível barganhar com Deus e como se já não tivéssemos nossas cargas de sofrimento. E falando em Deus, como podemos pensar em Valor da Vida quando enormes catástrofes assolam países inteiros e vemos uma grande corrida político-financeira se inaugurar pintada sob a égide do auxílio humanitário?

E logo então, como fachos de luz, pensamentos menos carregados de dor e sofrimento me vieram à mente, me fazendo lembrar que muitas vezes as minorias estragam as maiorias, e acabam por pousar sobre nossas cabeças um véu que esfria e altera nossas percepções. Me recordei de um fato ocorrido no Distrito Sanitário de itapagipe, quando uma queixa chegou a mim, informando que um cidadão encontrava-se em estado sub-humano, coberto de feridas necróticas e infectadas, totalmente entregue ao etilísmo e sem ninguém para apóia-lo. No mesmo instante, iniciei a busca por auxílio, um local, uma transferência, um médico, um serviço. Então, permitam-me citar o nome do médico, me passaram o telefone de Dr. Abevaílton, e ao falar com ele, o mesmo me solicitou que comunicasse ao P.A. Adroaldo Albergaria que as 16:00 h o mesmo precisaria de uma sala de curativos preparada para tal situação. Achei um pouco tarde, mas ele poderia estar em um outro serviço, então cumpri o que ele solicitou, e qual não foi meu espanto ao saber que na verdade Dr. Abevaílton estava de férias e fora de Salvador com sua família, e nem pensou em recusar-se a tal pleito. O que pensar se não, parafraseando outro grande médico Dr. Bezerra de Menezes, em quão digna é essa vida, colaborando com a própria dor na tentativa de debelar a dor alheia. Se isso não é valorizar e defender a vida, o que seria então? Citei apenas um de milhões de seres humanos que doam importantes instantes de suas vidas em razão da vida de outros, lutando e buscando, nada mais do que um planeta mais justo.

Não sejamos hipócritas em acreditar que não devemos lutar e buscar nossos interesses pessoais, não, não, o primeiro princípio que rege a vida é sua defesa, mas precisamos plantar sementes pelo caminho que façam florescer no coração dos menos favorecidos pela vida um desejo de ser, de estar e de crescer.

Isso me fez lembrar a história de um empresário que cansado da rotina árdua de trabalho se deu o direito de despachar de casa os afazeres daquela tarde. Preparou todo o escritório, abriu sua pasta e passou a ler e responder os documentos que trouxera. Neste instante, sua filha entra e lhe pede um pouco de atenção, ele já com a consciência pesada por nunca ter tempo para ela atende o pedido, mas pedido de criança não se atende em pouco tempo, e ele percebendo que a conversa se prolongaria, puxa um atlas geográfico da estante e tira uma folha que continha o mapa-mundi. Corta o mesmo em vários pedaços de diferentes formatos e sugere um jogo para a filha, que de pronto aceita. “Vamos brincar de quebra-cabeças”. Monte o mapa que está contido nestes pedaços, colando-os em uma folha de papel. E a menina sai saltitante com o novo intento. Para sua surpresa, em questão de poucos minutos e menina volta com o mapa prontinho colado em uma folha de seda. Atormentado com tamanha capacidade ele a questiona como teria sido aquilo, então ouve a seguinte resposta: “Percebi que o verso do mapa continha a figura de um homem, que achei mais simples de montar, por isso usei a folha de seda, desta maneira montando o homem, remontei o mundo.”

Pensemos desta maneira, pensemos que sempre podemos fazer mais pelo próximo, sem que isso nos tire ou nos afaste de nossos objetivos principais. Pensemos que momentos como estes precisam ser transformados em ações reais, buscando o verdadeiro sentido do defender a vida.

Concluo, valendo-me da declaração em defesa da vida assinada pelo episcopado brasileiro no ano de 2005, solicitando a “todos os que têm uma responsabilidade política e, de modo especial o Estado, à luz da ética e obedecendo à Constituição Brasileira, que empenhem-se para que todos os brasileiros, desde a sua concepção até a sua morte natural, tenham os meios necessários para uma vida digna, saúde, trabalho, moradia, segurança e, principalmente, todo o respeito que merecem.”